uccello > pássaro.

Posted in Uncategorized on Novembro 18, 2010 by caracolemrodas

quando era pequena (ou quase pequena? as raparigas de 15… não chamamo – (l)os pequenas mais?) queria traduzir esta poeminha (:p) do italiano para o português.

*
mi sedevo sul muretto
fischiavo fischiavo
e non ero un uccello
ero innamorato felice

com a ajuda do google translate (não ajuda-me muito – se apaixonar = jesen (outono) :D)

sentei-me na parede
assobiou assobiou
e não era um pássaro
estava enamorado (apaixonado) feliz.

Anúncios

como, como, como…? aaaaaaaaaaaaah!

Posted in Uncategorized on Outubro 25, 2010 by caracolemrodas

enquanto vivi em lisboa cria que não sei bastante de português para falar. mas naquele tempo podia ler os livros simples. também, podia ler os desenhos cômicos. era mas ou menos fácil. pois… o tempo passei. agora não posso ler nem escrever tão fácil. já sei que não tenho muito tempo. sinto muita frustração quando, tomando o eléctrico, viajo para o meu novo workshop e – lento, lento, o mais lento do mundo – leio o mesmo desenho cômico e não entendo as palavras que entendi antes. 🙂

mas, um dia… UM DIA!!!

um dia saberei o meu português!

Gosto muito desta fábula!

Posted in Uncategorized on Outubro 18, 2010 by caracolemrodas

Fábula de Sam McBratney

 

Era hora de ir para a cama, e o Coelhinho se agarrou firme nas longas orelhas do Coelho Pai.. Ele queria ter certeza de que o Coelho Pai estava ouvindo.

– Adivinha quanto eu te amo? – disse ele.
– Ah, acho que isso eu não consigo adivinhar – respondeu o Coelho Pai.
– Tudo isso – disse o Coelhinho, esticando seus bracinhos o máximo que podia.

Só que o Coelho Pai tinha os braços mais compridos.
E disse: – E eu te amo tudo isto!

Huuum, isso é um bocado,  pensou o Coelhinho.
– Eu te amo toda a minha altura – disse o Coelhinho.
– E eu te amo toda minha altura – disse o Coelho Pai.

Puxa, isso é bem alto, pensou o Coelhinho. Eu queria ter os braços compridos assim. Então o Coelhinho teve uma boa idéia. Ele se virou de ponta cabeça, apoiando as patinhas na árvore.
– Eu te amo até as pontas dos dedos de meus pés!
– E eu te amo até as pontas dos dedos dos teus pés – disse o Coelho Pai balançando o filho no ar.

– Eu te amo a altura de meu pulo! – riu o Coelhinho saltando, para lá e para cá.
– E eu te amo a altura do meu pulo – riu também o Coelho Pai e saltou tão alto que suas orelhas tocaram os galhos das árvores.

– Eu te amo toda a estradinha daqui até o rio – gritou o Coelhinho.
– Eu te amo até depois do rio até as colinas – disse o Coelho Pai.

É uma bela distância, pensou o Coelhinho. Ele estava sonolento demais para continuar pensando. Então ele olhou para além das copas das árvores,
para a imensa escuridão da noite. Nada podia ser maior do que o Céu.
– Eu te amo ATÉ A LUA! – disse ele, e fechou os olhos.
– Puxa, isso é longe disse o Coelho Pai.
Longe mesmo! O Coelho Pai deitou o Coelhinho na sua caminha de folhas. E então se inclinou para lhe dar um beijo de Boa Noite. Depois, deitou-se ao lado do filho e sussurrou sorrindo:
– Eu te amo até a lua…IDA E VOLTA !

E agora.

Posted in Uncategorized on Outubro 17, 2010 by caracolemrodas

hoje tentei de ler umas palavras portugueses. esqueci tudo. ou talvez – esqueci muito.

para mim começar era sempre uma das coisas mais difíceis. uma das coisas mais importantes. uma das coisas que repeto novamente.

escrever em português ou escrever em croata – e(sta?) o mesmo. cometo erros de qualquer maneira.

mas questa língua faz-me feliz. como as letras da minha cançaõ. como todas as coisas minhas.

***

e agora… sem medo.

e agora… sem raiva.

a partir de hoje – cada dia uma palavra nova. (nova palavra?)
uma… ou duas.
ou.
venha para mim.


Finalmente!

Posted in Uncategorized on Fevereiro 21, 2010 by caracolemrodas

Sim, sim! Finalmente o novo post!

A nossa vida nova não está mesmo nova; moramos aqui já por 3 meses.

thailand…

um dia…

Posted in Uncategorized on Agosto 16, 2009 by caracolemrodas

…vou falar português como o pessoa. :p

não me sinto pronta para escrever muitas coisas. quisemos fala-lo (ou falar-o?) em casa aos sábados, mas este sábado ainda não começámos. por isso existem outros sábados!

normalmente acho que tudo o que faço posso fazer em uma maneira mais fácil.

normalmente não o faço nesta maneira.

normalmente os meus amigos dizem que isso que é normal para mim, não é normal para o mundo. talvez tenho de acabar usar o adverbio ‘normalmente’ na mesma frase onda uso os informações de mim mesmo? :p

tentamos escrever as anedotas de lisboa. todas. dia a dia; cada de 205 + 15 dias em

recebi uma carta cheia de ideias e por isso acho que tenia de aprender o italiano também. sim, como não :p

*quando potrei fare tutto quello che vorrei (?!), il mio mundo sarebbe grandissimo*

as palavras cansadas.

Posted in Uncategorized on Julho 19, 2009 by caracolemrodas

quis escrever alguma coisa cada dia. quis falar em portugues cada dia. quis aprender muitas palavras novas… quis dizer ‘obrigada para todos os comentarios’…

quis quis quis… :/

(nao sei onde e que ficam os acentos em mac do ivan e por isso ecrevo sem.)

os dias sao iguais. eu vou dormir cada noite – a manha. durante o dia esta calor e por isso tento escrever a noite.

nao sou CaracolEmRodas… agora sinto-me como o caracol mais lento do mundo.

as palavras em foto sao letras duma cancao que se chama poluuspavanka

(meia-nana*). e mais ou menos assim:

eu sou neste planeta para fazer-te feliz.

dorme tranquilo;

eles nao sabem o que nos sabemos.

poluuspavanka

*nana, cancao de embalar

___

bjs para todos